Cursos de Mestrado em Moçambique

Mestrado em Desenvolvimento Rural

Curso de Mestrado em Desenvolvimento Rural

Instituição e Local do Ensino: UEM, Maputo.

Apresentação do Curso

O curso de mestrado em Desenvolvimento Rural tem por objectivo geral, formar quadros capazes de analisar contextos, conceber, implementar, gerir e avaliar programas de desenvolvimento rural que conduzam à melhoria do bem estar das comunidades, contribuindo deste modo para a promoção do desenvolvimento socio-económico do país.

Objectivos específicos

  • diagnosticar e compreender processos que conduzem à inovação e transferências de tecnologias;
  • elaborar e implementar estratégias de comunicação para disseminação de tecnologias;
  • conceber programas de capacitação de produtores e técnicos agrários;
  • contribuir na elaboração de estratégias para o desenvolvimento agrário;
  • identificar e criar oportunidades para marketing de produtos agrários;
  • identificar, descrever e gerir actores envolvidos nos diferentes sistemas de informação Agrária;
  • conceber, implementar e avaliar programas e projectos de Extensão Agrária; e
  • monitorar e avaliar processos de inovação e transformação das comunidades rurais.

Competências específicas

Ao terminar a sua formação, o graduado Mestrado em Desenvolvimento Rural deve conhecer:

  • os aspectos económicos básicos relacionados com o desenvolvimento agrário;
  • as relações sociais, económicas e de poder que se desenvolvem aos níveis local, nacional e global;
  • os processos participativos de desenvolvimento;
  • as técnicas e instrumentos participativos na concepção, implementação e monitoria de projectos de desenvolvimento;
  • O graduado deve igualmente possuir as seguintes competência do saber fazer:
  • Gerir transformações rurais;
  • Planificar e implementar projectos de desenvolvimento rural;
  • Apoiar, planificar, implementar e avaliar intervenções integradas;
  • Traduzir políticas para programas de implementação;
  • Identificar necessidades, formular o problema empírico e suas implicações teóricas;
  • Colectar e analisar dados, interagir pedagogicamente com os sujeitos de estudo e disseminar os resultados.
  • Implementar investigação quantitativa em ciências sociais

Filosofia de Formação

No presente currículo os métodos educacionais serão orientados de forma a desenvolver nos estudantes, por um lado, uma atitude académica de reflexão, pensamento crítico e análise e por outro as suas capacidades de gestão e comunicação. Assim, em primeiro lugar, o graduado dos cursos de mestrado da FAEF será capaz de avaliar e aplicar o seu conhecimento na solução de problemas práticos; de igual modo deverá saber traduzir necessidades práticas em questões de estudo. Em segundo lugar, o mestre deverá ser capaz de trabalhar numa equipe multidisciplinar, sabendo não só como “gerir” um grupo multidisciplinar mas também como aplicar os seus conhecimentos numa perspectiva integrada. Finalmente, o mestre será motivado a desenvolver o seu conhecimento e habilidades de forma a permanecer um “estudante para toda a vida”.

A complexidade dos problemas relativos ao sector agrário em Moçambique é considerável e exige diferentes abordagens para a sua solução. Para atender a este aspecto, o currículo está desenhado de modo a formar especialistas em diversas áreas de conhecimento com as seguintes abordagens: (1) uma formação orientada para a aquisição de profundas habilidades em pesquisa na qual os estudantes serão treinados na aplicação dessas habilidades a casos reais, de modo a consolidarem a sua capacidade de busca constante de novos conhecimentos para a solução de problemas novos e cada vez mais complexos na investigação agrária; e (2) uma formação onde, para além de adquirir profundas habilidades em pesquisa, os graduados serão dotados de competência profundas em aspectos teórico-práticos de áreas específicas para a solução de problemas reais e que carecem de solução imediata ou a curto prazo no sector produtivo.

Os métodos de ensino-aprendizagem dos cursos de mestrado da FAEF exigem a disponibilidade de tempo suficiente aos estudantes para trabalho independente, pois são centrados no estudante, dando importância considerável ao trabalho individual e em grupos e com uma forte componente do princípio de ligação da teoria à prática. Exigem ainda a disponibilidade de espaço (laboratórios, área para ensaios de campo), de recursos materiais e financeiros, e em especial acesso à biblioteca, às tecnologias de informação e comunicação, e acesso às zonas rurais para o desenvolvimento de actividades práticas.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Preserve os direitos do autor. !!